O QUE HÁ DE INTERESSANTE EM PETRA NA JORDÂNIA -Blog Trielotur

Destinos

O QUE HÁ DE INTERESSANTE EM PETRA NA JORDÂNIA

Fabiana Lima
Escrito por Fabiana Lima em janeiro 28, 2021
O QUE HÁ DE INTERESSANTE EM PETRA NA JORDÂNIA
Junte-se a mais de 5 mil pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Hoje eu quero falar sobre umas das cidades mais famosas do mundo e que fica na Jordânia. Petra. Uma das sete maravilhas do mundo.

Pois é. Não sabiam? Em 2007, Petra foi eleita entre uma das sete maravilhas do mundo, e também a UNESCO a descreveu como “uma das mais preciosas propriedades culturais da herança cultural do homem”. Em 1985 Petra foi reconhecida como Patrimônio da Humanidade.

A cidade de Petra ou “Ragmu” foi esculpida pelo povo árabe Nabateus.

Este povo que se fixou por lá, há mais de 2000 anos e que transformou a mesma, num local de grande relevância para negócios nas rotas da seda e especiarias, além de outras rotas comerciais que ligavam a Arábia do Sul, China e Índia ao Egito, Grécia, Síria e Roma.

Petra é conhecida como Cidade Rosa devido a cor de suas pedras.

Petra na Jordânia

E sua história, arqueologia e arquitetura, é uma das mais ricas do mundo.

Um dos motivos para conhecer essa cidade, é realmente desfrutar de uma paisagem única em toda Terra, que nos leva a um encontro com o passado, presente e futuro. Nos faz aguçar a curiosidade e nos leva a desbravar uma história tão profunda e antiga quanto ela mesma.

As montanhas gigantes vermelhas…

Os inúmeros mausoléus….

E o contraste com a civilização moderna que a rodeia.

Petra na Jordânia

Esta cidade é de 312 a. C., e foi a capital dos nabateus, um povo árabe referido na Bíblia, que viveu entre o século IV a. C. e o século II d. C.  A cidade foi também um centro comercial muito importante entre a Península Arábica e Damasco, na Síria, e hoje em dia ela é a atração turística mais visitada da Jordânia.  Os romanos conquistaram a cidade em 106 a. C., e fez deste território uma parte da província romana. Nos séculos 2 e 3, Petra continuou a desenvolver. No século 7 foi a vez dos muçulmanos ocuparem Petra.No século 12, ela foi ocupada novamente pelos cruzados.

Durante um bom tempo a cidade ficou escondida, até ser descoberta pelo explorador suíço Johann Ludwig Burckhardt, que foi responsável por divulgar a cidade pelo mundo inteiro em um poema chamado “uma cidade rosa e vermelha tão velha quanto o tempo” .

É na cidade de Petra na Jordânia, que vivenciamos a famosa passagem bíblica onde Abraão, como prova de devoção a Deus, quase sacrificou seu filho que foi salvo por um anjo. A tumba do profeta Arão, um local sagrado para os muçulmanos, é conservada até hoje.

Em homenagem ao profeta, anualmente, uma cabra é sacrificada, pois muitos peregrinos acreditam que a Tumba carrega o espírito do profeta Aarão (irmão do Profeta Moisés).

O local do sacrifício está localizado no topo de uma montanha em Petra na Jordânia. O início da caminhada para este local fica pouco antes do início do anfiteatro. São mais ou menos 800 degraus para chegar lá.

Petra na Jordânia

Petra era uma fortaleza incrível, e agora ela tem monumentos antigos de vários séculos.

Ao longo do vale encontramos edifícios talhados na pedra como o templo de Khazneh Firaun, que é também conhecido como o Tesouro.

As ruínas de Petra estão localizadas num território entre o Mar Morto e o golfo de Aqaba, nas montanhas do flanco leste de Wadi Araba.

Nela podemos encontrar monumentos de várias épocas como o teatro romano, os túmulos reais, casas de períodos diferentes, câmaras funerárias e etc.

O Bab el Siq é mais do que apenas um “portão para o Siq”. É a porta principal da cidade.

É um profundo desfiladeiro rochoso através do qual se entra no vale de Petra.

Ao longo do caminho de 900 m que segue o Wadi Musa estende-se uma necrópole com túmulos de pedra excepcionais, que testemunham a importância deste acesso desde a antiga povoação de Gaia à capital dos Nabateus. Existem 85 monumentos e 15 inscrições registradas na área (L. Nehmé).

Um pouco mais adiante, você verá dois notáveis edifícios talhados na rocha, escalonados um em cima do outro, com projetos diferentes, mas pertencentes um ao outro: a tumba do Obelisco, única na arquitetura nabateia, e abaixo dela, o Bab as-Siq Triclinium. A inscrição de consagração colocada de forma proeminente no lado oposto do caminho nomeia o fundador da tumba.

Apesar de sua boa acessibilidade, o Complexo Aslah Triclinium em um planalto em frente à entrada do Siq é uma atração pouco visitada. O complexo inclui o Triclinium, o mais antigo monumento datado dos nabateus em Petra na Jordânia, numerosos nichos votivos, uma câmara de pedra com 10 sepulturas, cisternas e mais de 50 sepulturas em várias colinas rochosas

1

O Siq  é um estreito mais do que um quilômetro de comprimento, e com altura de 80 metros. Caminhar pelo siq é uma experiência impressionante, as cores das formações rochosas deixam a todos impactados por tanta beleza.

É a antiga entrada que leva à cidade de Petra na Jordânia, o Siq começa na barragem e termina no lado oposto, no tesouro. O Siq é uma rocha dividida que possui cerca de 1200m de comprimento e uma largura que varia de 3 a 12 metros, a altura das rochas podem chegar até 80 metros. A maior parte da rocha do Siq é natural mas há outra parte que foi esculpida pelo povo nabateu.

Nos dois lados do Siq, existem canais para retirar água que vem do vale de Moisés (Wadi Musa). Você percebe que a água fluía através de canos feitos de cerâmica, já o canal esquerdo, foi todo esculpido na rocha e coberto com painéis feitos de pedra, inclusive existem espaços só para filtrar a água.

Logo no início do Siq, ainda é possível ver as barragens originais dos nabateus, criações que impediram que o Siq fosse inundado.

A entrada para a cidade dos nabateus é feita através do “Siq”, um estreito com mais de 1 km de comprimento, ladeado por rochas que chegam até 80 metros de altura. Andar pelo Sig é encantar-se e inebriar-se com as cores e as formações rochosas, impossíveis de serem retratadas com tal perfeição.

Al Khazneh vai aparecendo ao fim da caminhando do Sig, e vai surgindo como o grande trunfo de Petra. Um dos cartões postais, a mais famosa delas, podemos afirmar.

Uma fachada com 30 metros de largura e 43 de altura que foi esculpida diretamente na própria rocha de cor rosa. A construção foi feita em meados do primeiro século para ser o túmulo de um grande rei nabateu, o local representa sem dúvida alguma, a genialidade deste povo antigo.

Que saber mais sobre Petra na Jordânia?

Acompanhe meus artigos, porque nas próximas semanas vou me aprofundar ainda mais sobre essa cidade incrível e única.

Aproveite para se inscrever em um dos nossos roteiros. A Trielotur tem roteiros incríveis para a Jordânia e claro, Petra.

Por Fabiana Lima (Fundadora da @trielotur, articulista na @revista_paroquias/turismo religioso, apresentadora do Programa Trielotur pelo mundo no Canal do Youtube.com/Trielotur)

Ei,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visite nosso site